O Datafolha tem percebido um aumento de hostilidade contra pesquisadores, principalmente depois dos atos políticos de 7 de setembro.

 Nesta semana uma pessoa foi agredida no interior de São Paulo enquanto fazia a pesquisa.

Luciana Chong, diretora do instituto, participou do UOL News nesta quinta-feira (22), lamentou o caso e afirmou que os ataques da família de Jair Bolsonaro (7) contra as pesquisas contribuem para esse clima hostil.

 "Eles contribuem, geram esse clima de hostilidade contra o Datafolha.

Isso é um absurdo. O Datafolha está ali para cumprir a função de mostrar o que a sociedade pensa. Não tem um lado, não está a favor ou contra candidatos.